Resenha: Deixe a neve cair

 

Imagem

Autores: John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle

Editora: Rocco

ISBN: 9788579801754

Páginas: 336

Deixe a neve cair é um livro dividido em três contos, cada um escrito por um autor. Eu costumo não gostar de contos, mas esses são interligados e no mesmo espaço/tempo o que torna a leitura MUITO interessante, tem vários easter eggs -coisa que eu particularmente adoro!- e tem em média 100 páginas cada, o que na minha opinião foi o suficiente pra desenvolver uma estória legal e não parecer corrido. Tudo se passa na época do natal – tinha data mais óbvia pra postar essa resenha? provavelmente não!- e com muita neve.
Acho que posso dizer que só comprei esse livro por causa do John Green, sou parte do público fiel dele *-*. Se não o conhecesse provavelmente acabaria comprando pela capa fofa e pelas outras autoras que são bem conceituadas por pessoas que já leram algum trabalho delas, o que não é o meu caso, então fora o conto do John Green eu não tinha muitas expectativas, por que como gosto literário difere bastante (já quebrei muito a cara por causa disso) prefiro tirar minhas conclusões em relação a um autor só depois de ter lido algo escrito por ele.

snow

O Expresso Jubileu – Maureen Johnson 4/5
Nesse conto a narrativa é em primeira pessoa, assim como nos outros dois. A personagem principal é a Jubileu que é meio inocente e tem um complexo com o nome – pelo amor de Deus, que tipo de nome é Jubileu?! -, ela namora um rapazinho popular chamado Noah, é um namoro estável e confortável. Na véspera de Natal os pais delas são presos – por um motivo muito legal! -, ela tem que deixar de lado tudo o que planejou para o primeiro natal que comemoraria com o namorado e embarcar num trem em direção a casa dos avós, na Flórida. Pelo menos essa era a intenção, só que a nevasca não colaborou e o trem acabou atolado em Gracetown e ela decide explorar a área indo à uma Waffle House onde encontra o Stuart, um garoto fofo que teve seu coração partido a pouco tempo e a faz questionar se esse namoro “seguro” é realmente o que aparenta. MUITO clichê, mas vale a pena se você não se importa com essas fórmulas de “garota sem graça namora garoto popular e não sabe o porquê até que um garoto que tenha tudo a ver com ela apareça e a faça sentir o que o outro não fez”, divertido e despretensioso, o famoso “remédio para ressaca literária”.

O Milagre da Torcida de Natal – John Green 4/5
Amo a narrativa divertida e fluída do John e esse conto foi como uma migalha… acabou muito rápido! É sobre Tobin e seus amigos JP e Duke que abandonam o plano natalino inicial que consistia em uma maratona de James Bond por uma corrida – lembrando que está nevando muito – até a Waffle House – uma lanchonete – local, com várias líderes de torcida – que saíram do mesmo trem da Jubileu! -. É muita loucura correr na nevasca pela diversão com as líderes de torcida, mas, ok. O enredo é previsível, mas se desenrola rapidamente. O Tobin é o personagem principal padrão do John Green, o JP é o melhor amigo do personagem principal padrão do John Green e a Duke – isso mesmo uma garota, mas Duke é só apelido – tem uma personalidade forte, como todas as personagens femininas de destaque do John Green, ou seja, os personagens parecem os mesmos de outros livros escritos por ele e por isso perdeu pontuação, mas é bem divertido.

O Santo Padroeiro dos Porcos – Lauren Myracle 3/5
Que personagem principal chata!!! Não aguentava mais tanta autopiedade. O nome da criatura é Addie e sim, ela conseguiu fazer tudo virar uma merda. Namorou o Jeb – ele também estava no trem da Jubileu -, traiu o Jeb, terminaram, está sofrendo pelo término, blá, blá, blá. As amigas Dorrie e Tegan tentam tira-la do fundo do poço, mas tudo o que recebem é comiseração e egoísmo, a chance que ela tem de provar pro mundo que nem sempre as coisas são sobre ela é pegando na hora certa o presente -um miniporco -, que ela e a Dorrie compraram para a Tegan, uma apaixonada por porcos. A loja onde o porco está fica próxima a Starbucks onde a criatura trabalha e mesmo assim a menina consegue fazer uma bagunça. Eu só curti mesmo as últimas páginas porque tem um super easter egg. Apesar da personagem principal ser do jeito que é, a coisa não ficou arrastada, mas eu só não dispensaria esse último conto por causa dos personagens dos outros contos.

No final todos tem lições de moral, seguem a mesma linha, a mesma proposta e são uma boa pedida em qualquer época do ano, mas principalmente enquanto o clima natalino ainda está presente.

Feliz Natal!

Anúncios

3 comentários sobre “Resenha: Deixe a neve cair

  1. Oi, Hannah!
    Gostei muito da sua resenha, foi bem resumida e deu pra passar o que você sentiu com a leitura. 😀
    A personagem do último conto é mesmo uma mala, mas eu perdoei simplesmente porque ela estava numa fossa danada. rsrs E a autopiedade acaba vindo automaticamente. Uma pena que isso fez vc não gostar muito do último conto.
    Já o conto do John Green, não tinha pensado desse modo. Talvez por isso outras pessoas tb não curtiram tanto. Mas eu não li todas as obras dele, por isso achei bem legal. rsrs
    Parabéns pelo blog, continue assim!
    Bjos bjos!

  2. Pingback: Resumo do Mês: Dezembro/2013 | Toalha Mecânica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s